quinta-feira, 7 de maio de 2020

"TriMARIA"

Conceição Cruz
Cadeira n.º 4

Acolhe a filha nos braços, 
antes do tempo, nascida!

(Criança prematura, 
no interior, 
a morte era coisa certeira! 
Tempo 
de poucos médicos 
e de muitas parteiras...).

Chama os padrinhos...
- Leve minha filha 
ao altar para, a Deus, consagrar!

Em casa,
com todo o carinho,
piedosamente, zela e reza!

Dia e noite,
noite, dia,
para desfazer, 
da vida,
as mazelas ...

Com as māos 
aquece-lhes os pés
(apesar de envolta 
no manto, durante 
o outono, o inverno e 
a toda a vida de acalanto...).

Se o leite não tem gosto,
A gema do ovo há
de ter o sabor oposto!

Se troca a noite 
pelo dia,
dá-se um jeito:
nāo dorme!

Melhor deixar 
o mundo e tudo mais 
à revelia!

Se a cor 
causa-lhe alergia, 
veste-a de branco, 
em honra à Virgem...

Entre choros e risos,
o coração  dilacerado,
a confiança 
da oraçāo conforta!

Um dia, aliviada, suspira!
Sob a graça divina,
com certeza,
esta a morte não leva mais!
Celebremos, pois, a vida,  a Paz! 


E assim
como, outrora, 
a sua māe fez,
para maior alegria,
ligando à terra 
as coisas do céu,
chegou a sua vez!

Dá-lhe o seu 
mesmíssimo nome!

Maria!



6 comentários:

  1. Que profundo sentimento.Palavra

    ResponderExcluir
  2. Como sempre, textos maravilhosos! Parabéns, Conceição! Orgulho de tê-la conhecido um dia. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Muito bonito! E mais mineiro que isso, impossível!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns! Grata por compartilhar tamanha beleza.

    ResponderExcluir
  5. Texto demonstra um amor infinito. Parabéns!

    ResponderExcluir

Os comentários neste blogue são moderados.